Revista Casa da Agricultura

Fonte:

 

 

C??? | 18 de dezembro de 2012??

"Preços baixos pagos por laticínios impulsionaram a construção de queijaria em Itapetininga

 

Em Itapetininga, na Fazenda Santa Luzia, de 120 hectares, além de pecuária de corte, agricultura e reflorestamento, funciona desde 2001 e depois de muitas experiências na cozinha e na lavanderia da propriedade, a Queijaria Artesanal Santa Luzia. Considerada a primeira queijaria artesanal do Estado de São Paulo, tem produção mensal que varia de 1.500 kg a 1.800 kg dos queijos Minas Frescal, Ricota, Mina Padrão, Coalho, Saint Paulin, Edam, Reino, Gouda com Kümmel, Gouda com Ervas Finas, Parmesão e Brie. “A matéria-prima é obtida da produção leiteira da própria fazenda, com controle de qualidade realizado”, explica Martin Breuer, proprietário da fazenda.

A ideia de construir uma queijaria surgiu pelo desânimo com os preços pagos pelos laticínios da região. “O preço pago não cobria os custos de produção”, conta Maristela Nicolellis, esposa de Martin e tecnóloga em agronegócios. Com a decisão do novo negócio tomada, investiram na estrutura e em conhecimentos. Com recursos próprios, compraram equipamentos e construíram o prédio e as instalações. Além disso, participaram de cursos no Brasil e exterior. Hoje, a pequena agroindústria conta com 11 funcionários que se dividem nas etapas de produção. “Inicialmente, a dificuldade era conquistar o mercado, pois as pessoas são arredias a novidades. Também foi complicado desenvolver o projeto com recursos próprios, que eram escassos, pois para conseguirmos financiamento, teríamos que ser pessoas jurídicas, visto que essa é uma exigência do Feap Agroindústria. Hoje, o desafio maior é gerir o negócio nos moldes estabelecidos pela lei n.° 10.507, a qual estabelece que a produção de leite máxima permitida é de 300 litros/dia.”

Mesmos com as dificuldades, a comercialização dos queijos é considerada boa pelo casal que tem algumas estratégias para promover a produção. “Para tornar nosso produto conhecido, fazemos promoções em pontos de venda e já fizemos algumas inserções em outdoors, revistas e jornais da cidade, mas nossa melhor propaganda é o boca-a-boca. Somos conhecidos pela nossa qualidade e seriedade”, explica Maristela. De acordo com o casal, o sabor diferenciado dos queijos artesanais é o que atrai a atenção dos produtos. “Nossos queijos podem ser considerados diferenciados porque são feitos com leite selecionado, produzido em nossa fazenda a partir de vacas Simental, com controle rígido e rastreamento dos animais. Os queijos são feitos em pequena escala, de forma artesanal e sem adição de nenhum conservante químico”, avalia Martin."

  • Facebook Clean
  • White Instagram Icon
Estamos à sua disposição!

Não achou as informações que desejava? Precisa de ajuda e acredita que possamos ajudar? Entre em contato! Retornaremos o mais breve possível.

Somos parceiros da eureciclo: todas as embalagens plásticas que nós usamos em nossos produtos serão devidamente recicladas. Isto quer dizer que já podemos dormir com a consciência ecológica mais tranquila porque aquele potinho que sobra quando você acaba de comer nosso frescal com iogurte não será descartado na natureza. A Eureciclo cuidará para que ele trilhe o caminho certo até a reciclagem. Usamos plástico porque ainda não há uma alternativa viável para produtos lácteos frescos.